FALE CONOSCO:
contato@salarquitetura.com   |   11 99872-2287
SIGA-NOS:
  • Instagram
  • Facebook
  • Pinterest
  • whatsapp_04
Buscar
  • Pedro Almeida

POR QUE CONTRATAR UM ARQUITETO? | Escrito por um engenheiro

Uma história real de um engenheiro que decidiu ouvir sua mulher.


Como engenheiro eu sempre tive um sonho, “construir a casa onde eu fosse morar”. Durante alguns anos, como engenheiro Jr., economizei muito, fiquei com um carro muitos anos e nem equipei, coisa que na época era moda. Meus amigos diziam que nem o volante eu trocava e apelidaram de “volante samba canção”.


Quando encontrei a “mina certa” noivei e preparamos para casar. Na época meu futuro sogro deu o terreno e eu já tinha quase todo o recurso para construir a casa dos sonhos.

Tudo certo, começamos a planejar a construção da casa em tempo recorde para podermos casar logo, mas este era o início do ano de 1990 e não sei se isto lembra alguma coisa para você, é isso mesmo, chegou o Plano Color e afanaram todo o recurso que tinha aplicado no mercado financeiro para construir a casa. O que fazer agora? Tinha durante anos economizado, tinha um sonho, estava tudo certo e agora estava sem recursos e tudo foi por terra.


Esta tragédia nos assolou durante alguns dias, mas algo aconteceu que melhorou um pouco, consegui resgatar parte do dinheiro que tinha aplicado, mas não era suficiente para construir um terço da casa. Mesmo assim, eu e minha noiva resolvemos duas coisas, vamos casar no final do ano e vamos construir a casa mesmo sem recursos. Aprendi que sucesso é uma decisão. Agora como fazer?


Começamos planejar tudo para o casamento em Igreja Fantástica, uma linda festa e viagem, e a casa como vamos fazer?


Como engenheiro comecei a projetar a casa de acordo como a noiva queria e meus conceitos, cheguei orgulhoso ao final e em dia marcado apresentei pra ela o projeto. Algo muito importante em nossa relação é a transparência, assim ela delicadamente mostrou que não era aquilo que queria e eu entendi que o que tinha feito estava longe do ideal, mas que pra mim dava pra viver bem.


Foi outra decepção pra mim, sem recursos para construir uma casa e o projeto não aprovado pela amada. Como desgraça pouca é bobagem, após alguns dias, ela veio com a ideia de contratar um arquiteto para termos ideias para um projeto para a casa dos sonhos como ela mencionou naquele dia.


Ficamos 1 semana sem falarmos, pois eu pensava, “como sem dinheiro para construir agora vamos contratar um arquiteto que custa caro e vem com ideias fantasiosas no meu projeto?”.


Em nosso círculo de amigos tínhamos um amigo em comum que era arquiteto ela propôs apenas uma conversa com ele sem compromisso.


Minha reputação estava arranhada, meu pensamento era que tinha feito uma boa casa e poderíamos economizar no projeto, o que seria ótimo pois meu bolso estava quase vazio pelos compromissos do casamento.


Marcado o dia lá fomos conversar com o arquiteto, após vários minutos de amenidades, minha noiva começou a falar dos nossos sonhos de viver bem em uma casa aconchegante e bonita, e eu falava em vários cômodos, sala de TV e churrasqueira. O arquiteto recebeu todas as informações e fez um monte de perguntas, sobre o estilo que gostávamos e nos ajudou a colocar pra fora nossas próprias ideias.


Saí da reunião meio ressabiado e com a pulga atrás da orelha, pois a minha expectativa inicial era que íamos discutir (brigar) sobre alguns conceitos e que minha decisão seria, vamos fazer por nós mesmo. Nada disso aconteceu, o arquiteto nos falou que iria estudar e apresentaria um briefing do projeto e nos apresentaria um orçamento.


Após três dias o arquiteto nos apresentou uma proposta com o orçamento de todo o projeto arquitetônico e outras opções adicionais: acompanhamento da obra, assessoria em aquisições e indicação de parceiros de execução de obra (marcenaria, pedras, ar condicionado...) e de projetos complementares (hidráulica, elétrico).


Apesar de minha falta de fé fiquei impressionado como ele havia entendido o que eu pensava e o que minha noiva sonhava. Além disso, apresentou opções que eu não havia pensado que me aliviaria durante a execução da obra. Quanto ao preço não achei caro, mas era algo representativo, quando expus minha preocupação com a falta de recursos, ele falou que poderíamos planejar tudo e que as soluções que ele daria iria economizar na execução, além do conhecimento de fornecedores de materiais e equipamentos em locais de preço adequado, além do empreiteiro de confiança com melhor preço.


Depois desta reunião vieram as dúvidas, devemos ou não fazer um projeto de arquitetura, esta dúvida nos preocupou muito, e decidimos iniciar um relacionamento curto e rápido com o arquiteto para adquirir a confiança no trabalho dele, que para nós era desconhecido. Fizemos várias perguntas e procuramos conhecer um pouco mais sobre projetos de arquitetura, pois na época não existia internet como hoje.


Algo novo aconteceu, adquirimos uma segurança e confiança no trabalho do arquiteto. Como em nosso planejamento do casamento havia sobrado algum valor, resolvi acreditar em algo novo e fechamos o contrato do projeto de arquitetura com o arquiteto. Quem diria eu engenheiro que brincava muito com os arquitetos na faculdade agora contratando um para projetar minha casa.


Depois de algum tempo o arquiteto veio com o projeto pronto para nossa aprovação, para nossa surpresa ele nos apresentou algo bem diferente, mas dentro do que pensávamos. Ficamos encantado pois há quase trinta anos atrás foi apresentado um projeto com ambientes integrados, conceito aberto e um aproveitamento fantástico do terreno. Minha noiva vibrou com o projeto, no qual solicitei apenas duas pequenas mudanças.


Quando eu e minha noiva estávamos sós, falei pra ela “Tá vendo ele pegou minhas ideias e fez um grande projeto”. É assim mesmo, quando o projeto é bom o cliente pensa que o projeto foi feito por ele.


Agora em janeiro de 1991, com o projeto arquitetônico da casa pronto, já casados e voltando da lua de mel, morávamos em um apto que pagávamos um pequeno aluguel para um parente da família. Nesta época decidimos “vamos começar a obra” mas o recurso que havia sobrado de tudo era pouco, então partimos para ver um financiamento para construção da casa. Após consultarmos alguns bancos verificamos que naquele período muito dificilmente dariam um financiamento para construção da casa.


Veio sobre nós outra tristeza, pois não conseguiríamos construir a tão sonhada casa, mas veio outra ideia da minha esposa que adotei imediatamente. “que tal se falarmos com o arquiteto para termos algumas sugestões?


Ele nos falou que poderíamos fazer um planejamento da obra de acordo com os nossos recursos e nos deu elementos para que eu fizesse o planejamento, isto porque já tinha experiencia nisto. Após discutir com ele e com um pequeno valor o contratamos para nos ajudar nos orçamentos e fazer o acompanhamento da obra quando fosse executada.

Então decidimos, “vamos construir sem financiamento”, minha esposa começou a trabalhar dois períodos como professora e todo o recurso que eu ganhava ia para obra.


Nosso planejamento foi muito bem feito, com o auxílio do arquiteto, fizemos bons orçamentos e compramos materiais apropriados e muito bonitos, com um detalhe, com preços dentro das nossas possibilidades.


Com a ajuda do arquiteto a obra transcorreu tudo muito bem, lógico que alguns problemas surgiram, mas foram solucionados a contento e sem prejuízos, o acompanhamento dele no dia a dia foi fundamental.



Depois de dois anos e meio a obra chegou ao final, a casa dos sonhos estava pronta, muito linda de acordo com que a minha mulher queria, todos elogiaram bastante pois ficou fantástica e muito inovadora.


Neste momento tivemos outro dilema, “como vamos fazer para decorar”, minha esposa falou “agora é comigo” eu falei de forma alguma vamos direto com o arquiteto. Ela de início ficou um pouco contrariada, mas acabou aceitando e contratamos.


O arquiteto novamente veio com várias opções de móveis, parceiros de marcenaria, pedras etc. Foi o que nos salvou, pois conseguimos comprar coisas muito lindas e dentro de nosso orçamento.


Assim, depois de quase três anos, conseguimos conquistar uma vitória incrível de realizarmos nosso sonho, lógico que com ajuda de Deus em tudo que fizemos, mas também com nosso esforço e assessoria adequada que nos fez economizar e termos coisas lindas.


LIÇÕES APRENDIDAS:

1. Sempre dê ouvidos a sua mulher.

2. Batalhe muito por viver em um lugar que proporcione qualidade de vida e satisfação.

3. Procure sempre a assessoria adequada em tudo que for fazer.

4. Faça negócio com quem você confia.


#dicasdeblog #contrateumarquiteto